:: Demonstração das variações biológicas e analíticas ::

 

     Freqüentemente, os laboratórios são questionados pelos clínicos em relação às variações nos resultados de um paciente, em especial quando analisadas duas determinações de um mesmo parâmetro, consecutivas, ou comparações entre dois laboratórios.

VARIAÇÕES A SEREM CONSIDERADAS 

1) Variabilidade biológica (CVb) - é a variação intrínseca do organismo manifestada ao longo do tempo em condições onde a dieta, utilização de fármacos e fatores ambientais como a manutenção de peso, hábitos como  tabagismo ingestão de álcool, stress, são alguns parâmetros importantes.

2) Variabilidade analítica (CVa) - é a variação no resultado dependente dos métodos, procedimentos e equipamentos utilizados.

VARIABILIDADE BIOLÓGICA (CVb) E VARIABILIDADE
ANALÍTICA (CVa) DOS PRINCIPAIS LIPÍDEOS
 
ANALITO CONC.(mg/dl) CVb% CVa% CVTOTAL% RANGE
COLESTEROL 134  -  245 6,7 0,7 6,7 1,7  -  11,6
HDL-C 29  -  74 7,5 1,3 7,6 2,2  -  13,7
LDL-C 76  -  185 9,2 1,3 9,3 2,0  -  15,3
TRIGLICÉRIDES 42  -  334 28,2 1,6 28,3 5,3  -  74,0

     Através deste trabalho, confirmado por achados semelhantes de outros autores, pode-se atestar que a variabilidade biológica é o principal fator para a flutuação dos resultados dos lipídeos.

VARIABILIDADE NA DETERMINAÇÃO DOS TRIGLICÉRIDES
EXPERIÊNCIA NOS LABORATÓRIOS

     A dosagem dos triglicérides é um dos parâmetros bioquímicos que pode apresentar maior variação entre duas dosagens sucessivas em dias diferentes.
     Relatamos dados obtidos em 238 pacientes com dosagem de triglicérides acima de 400 mg/dl que voluntariamente retornaram ao laboratório para a segunda determinação entre 1 e 2 semanas após, sendo considerada de 20% a variação entre duas determinações para caracterizar os resultados como diferentes.
 
VARIAÇÃO N % AUMENTO N (%) REDUÇÃO N (%)
< 20% 58 24,4    
> 20% 180 75,6 16  -  6,7 164  -  68,9

     Dos pacientes que repetiram a determinação, 75,6% apresentaram uma variação maior do que 20% em relação à primeira dosagem.
     Alguns pacientes apresentaram variações muito expressivas, como as descritas abaixo, dosagens feitas em triplicata e com rigoroso controle de qualidade. São variações biológicas decorrentes de dieta:
 
1ª DOSAGEM mg/dl (TRIPLICATA) 2ª DOSAGEM mg/dl (TRIPLICATA) DIFERENÇA
1ª - 2ª
DIAS ENTRE AS DOSAGENS
725 127 -598 6
1094 277 -877 6
1522 280 -1242 18
1087 183 -904 17
905 1744 +839 2

ALGUNS MEDICAMENTOS QUE INTERFEREM NA
CONCENTRAÇÃO DO:

COLESTEROL TRIGLICÉRIDES
 
DIMINUEM:
Ácido acetil salicílico
Alopurinol
Vitamina C
Estrógenos
Contraceptivos orais
Anticonvulsivantes
Corticóides
Amiodarona
DIMINUEM:
Captopril
Amiodarona
AUMENTAM:
Propranolol
Insulina
Contraceptivos orais

Considerações Gerais:
     - É fundamental que não só o laboratório, mas também o clínico, oriente seus pacientes para o preparo adequado antes da coleta do perfil lipídico e não aceite resultados que não sejam obtidos de forma padronizada.
     - Pedimos ao clínico: em caso de dúvida contate diretamente o laboratório. Estaremos sempre motivados a obter resultados cada vez mais reprodutíveis.

LIPÍDEOS E LIPOPROTEÍNAS - (VALORES DE REFERÊNCIA

VALORES DE REFERÊNCIA PARA COLESTEROL TOTAL,
HDL, LDL E TRIGLICÉRIDES
 
Lipídeos (mg/dl) Desejável (mg/dl) Aceitável
COLESTEROL Adulto < 200
Criança 170
Adulto < 240
Criança » 200
COLESTEROL HDL Homem > 55
Mulher > 65
 
> 35
COLESTEROL LDL Adulto < 130
Criança < 110
Adulto até 160
Criança < 129
TRIGLICÉRIDES      Os limites de normalidade para triglicérides recomendados pelo "National Cholesterol Education Prograns Adult Treatment Panel" são relativamente amplos. Tem sido difícil estabelecer uma concentração específica como alto risco de CHD por haverem controvérsias em relação aos níveis de triglicérides que afetam o CHD.
     Os valores considerados normais são: triglicérides: < 200 mg/dl
Valores limiares: entre 200 e 400 mg/dl
Valores elevados: acima de 400 mg/dl
Na prática clínica o limite superior mais usado tem sido 250 mg/dl

VALORES DE REFERÊNCIA PARA COLESTEROL TOTAL,
HDL, LDL E TRIGLICÉRIDES

Determinação Valores de Referência (mg/dl) Método
Apo B 45,0 a 104,0 Nefelometria
Apo A 91,0 a 175,0 Nefelometria
Lp (a) < 30,0 Nefelometria
Fibrinogênio 200,0 a 450,0 Coagulométrico


FONTE - Instituto de Patologia Clínica H. PARDINI